NOTÍCIAS

14/03/2014 -- 09:29

Governo de S.Paulo não vai mais negociar com agentes penitenciários, afirma Sindasp

O governo está irredutível e disse que não vai mais negociar as reivindicações da pauta 2013 da categoria dos agentes de segurança penitenciária (ASP) com o Sindasp-SP. A informação é do presidente do sindicato, Daniel Grandolfo.

O sindicalista está em São Paulo, junto com os diretores Cícero Felix e Donizete Rodrigues, tentando negociar e aguardando que o governo apresente uma nova proposta. "Buscamos todas as formas possíveis de negociação, inclusive com diversas autoridades, mas a resposta do governo foi a mesma e disse não vai mais negociar com o Sindasp-SP, apenas com outras duas instituições", disse Grandolfo.

O Sindasp-SP realizou assembleias gerais, de 3 a 25 de fevereiro, e ouviu a vontade da categoria. Os servidores foram unânimes em declarar a insatisfação salarial e decretaram greve geral no sistema penitenciário, que teve início na última segunda-feira.

Na manhã de terça-feira (11), ocorreu uma reunião com representantes do governo no Palácio dos Bandeirantes e os diretores do Sindasp-SP, onde foi apresentada uma proposta à categoria. Ainda na terça-feira, à noite, ocorreram 12 assembleias gerais em diversas regiões do Estado e a proposta apresentada pelo governo foi rejeitada por nove votos contra e três a favor, o que determinou a continuidade da greve por tempo indeterminado.

Após esses fatos, outras duas instituições sindicais que não haviam aderido à greve e nem se manifestado à categoria, simplesmente, desde ontem, resolveram espalhar que agora estão no movimento e, estranhamente, o governo diz que vai negociar apenas com tais instituições para por fim à greve e não negociará mais com o Sindasp-SP que faz a vontade dos servidores.

"Caso o governo realmente negocie com essas duas instituições, ao contrário do que elas fizeram conosco, vamos apoiar e apresentar a proposta em assembleia para que a categoria tenha conhecimento, vote e decida se aceita ou rejeita aquilo que deverá ser proposto", finalizou Grandolfo.



SITUAÇÃO NA REGIÃO

Tanto os agentes penitenciários de Assis quanto os de Paraguaçu Paulista aderiram à paralisação iniciada na segunda-feira, dia 10. Uma das medidas é o não recebimento de novos presos vindos da cadeia pública de Lutécia, que em três dias já atingiu o acúmulo de 30 detentos recolhidos, entre adultos e menores, onde o limite é de 40 pessoas.

Uma das razões da greve é a superlotação das penitenciárias em todo o Estado de São Paulo. Confira a seguir os números das unidades prisionais da região quanto a lotação máxima e o número atual de detentos que é muito superior, segundo a contagem feita em 10 de março pela Secretaria da Administração Penitenciária.


ASSIS – PENITENCIÁRIA

Lotação: 829 – população: 1.282


ANEXO DE DETENÇÇÃO PROVISÓRIA

Lotação: 288 – população: 522


PARAGUAÇU – PENITENCIÁRIA

Lotação: 844 – população: 1.716.


Agentes penitenciários de Paraguaçu Paulista


Agentes penitenciários de Assis


Redçção Assiscity e Assessoria de Imprensa-Sindap
Leia também!
Crianças procuram por cachorros de raça que sumiram nesta manhã
Saude Municipal treina agentes para atendimento de contaminados com dengue
Paraguaçu será referência regional com a nova Ciretran
Educação Municipal de Paraguaçu convoca classificados e prepara início do ano letivo de 2015
Obra do grupo Kawakami em Paraguaçu entra na reta final
Prefeitura de Paraguaçu prepara avenida Sete para receber nova etapa de obras
» Veja a lista completa
Home Paraguacity

Notícias

Notícias
Brasil
Destaque
Esporte
Região

Destaques

Eleições 2012
Blog
3x4 da city
Charge
Comportamento
Galeria de Fotos
Petemfoco
Colunistas
VC Repórter
Classificados
Promoções
Fale Conosco
Quem Somos
Sua Conta
Expediente
Newsletter
Política de Privacidade
Acesse a versão clássica
Redecity. © 2015
Google Twitter Whatsapp Facebook